Livros,jogos,Filmes e etc...

Aqui eu irei colocar livros,desenhos,filmes e outras coisas que eu vi e postarei aqui para voçês lerem.
Percy Jackson e o Ladrão de Raios



Percy Jackson é um garoto problemático de 12 anos que nunca conheceu o pai e vive com a mãe e o padrasto chato (Gabe Ugliano) em New York. Diagnosticado como sofredor de déficit de atenção, disléxico e hiperativo, nunca conseguiu ficar mais de um ano na mesma escola, sendo sempre expulso por causa de ataques de monstros. Apesar de estar acostumado a esquisitices em sua vida, quando, na sua escola do 7º ano, a professora de matemática Srª Dodds se transforma em um monstro mitológico (uma das fúrias de Hades) e tenta matá-lo, Percy começa a desconfiar de que não é um menino normal…
Em uma excursão escolar, para defender seu melhor amigo Grover de Nancy Bobofit (uma cleptomaníaca implicante), Percy a lança em um chafariz, sem saber como fez isso e sem ter encostado nela. A primeira demonstração da hidrocinese de Percy se dá aí. A sua professora de matemática o chama e se revela uma das Fúrias de Hades. O sr. Brunner, seu professor de latim, o salva com uma espada disfarçada de caneta (alakusmos = contracorrente). Após destruí-la, fatos estranhos se desenrolam na vida de Percy; ao chegar em casa, sua mãe o leva para a casa de praia em Montauk, de noite cai uma tempestade, então Grover (o sátiro ) bate na porta e diz que é preciso que ele vá para o acampamento. Sua mãe os leva até lá, mas antes de atravessarem a colina na frente do acampamento, aparece o minotauro e quase mata a mãe de Percy - ela vive, só que nos domínios de Hades, só que percy não sabe disso, então desmaia de cansaço. Quando ele acorda no Acampamento Meio-Sangue, descobre que sr. Brunner é Quíron, o centauro que treinara heróis como Hercules e Jasão, e que seu amigo Grover Underwood, é na verdade um sátiro. Conhece Annabeth Chase (filha de Atena), Dioníso (deus do vinho), Luke Castellan (filho de Hermes) e Clarisse (filha de Ares).
Em uma noite, eles vão jogar um jogo típico do acampamento chamado captura da bandeira. Percy é colocado como patrulha da fronteira (na verdade, uma isca para os filhos de Ares), é ferido no meio do jogo pelos filhos do deus da guerra (como planejado) mas ele tropeça e cai no riacho, e ganha mais energia, suas feridas são curadas e derrota Clarrisse e seus irmãos. Ainda no riacho, ele é reconhecido como filho de Poseidon. Um dos três grandes, que fizeram um acordo de não ter mais filhos.
A partir destes fatos, ele descobre que é acusado de roubar o raio-mestre de Zeus, a ordens de seu pai, Poseidon. Percy acha que foi Hades que roubou o tal raio. Para provar a sua inocência, Percy, Annabeth e Grover saem em busca do raio-mestre e eles conhecem ninguém mais ninguém menos que; Hades deus dos mortos, que na verdade é inocente. Então descobre que Ares deus da guerra, é o culpado, e que roubou também o elmo de Hades. Antes de entrarem no submundo, no meio do caminho eles encontram Equidna testadora de heróis e mãe dos monstros e sua pequena filhinha camuflada pela névoa como Chiuaua, que na verdade é a Quimera. Também encontram uma das górgonas Medusa, que ganha a vida vendendo estátuas - pessoas por ela petrificadas. Cérbero o guardião das entrada para o mundo inferior, Cronos (Titã pai de Zeus, Poseidon e Hades) mas como um ser fraco que esta tentando se erguer do Tártaro (a parte mais sombria do mundo inferior), Poseidon deus do mar e Zeus deus dos céus.





Percy Jackson e o Ladrão de Raios-o filme
Percy Jackson & the Olympians: The Lightning Thief (Percy Jackson e o Ladrão de Raios (título no Brasil) ou Percy Jackson e os Ladrões do Olimpo (título em Portugal)) é um filme de 2010 de aventura e fantasia dirigido por Chris Columbus. O filme é uma adaptação para o cinema do primeiro livro da série Percy Jackson e os Olimpianos, escrita por Rick Riordan. Estrela Logan Lerman como Percy Jackson, e outros membros do elenco são Brandon T. JacksonAlexandra DaddarioJake AbelRosario DawsonSteve CooganUma ThurmanCatherine KeenerKevin McKiddSean Bean e Pierce Brosnan. Estreou nos cinemas em 11 de fevereiro de 2010 em Portugal, e no dia seguinte no Brasil e nos Estados Unidos.
O filme obteve a segunda maior arrecadação em seu final de semana de estreia, aproximadamente US$40 milhões. Arrecadou US$226,4 milhões mundialmente. Percy Jackson & the Olympians: The Lightning Thief foi recebido com opiniões médias ou mistas dos críticos especializados.

Enredo

O filme é iniciado no topo do Empire State Building, com Zeus (Sean Bean) contando a seu irmão Poseidon (Kevin McKidd) que seu raio mestre foi roubado. Ele acusa o filho de Poseidon de ter roubado o raio, e, apesar do irmão negar, lhe dá um prazo de 14 dias para trazê-lo de volta.


Logo depois, Percy Jackson (Logan Lerman) é mostrado em uma visita da escola para uma exibição de arte grega e romana, onde é atacado por aquela que pensava ser apenas sua professora, Sra. Dodds, mas era, na verdade, uma Fúria disfarçada; ela o questiona sobre o raio. Percy, que ainda não tem idéia de quem é, é salvo por seu professor de latim, Mr. Brunner (Pierce Brosnan), que aparece de repente, ao lado de Grover Underwood (Brandon T. Jackson), melhor amigo de Percy. Depois que a Fúria vai embora, Brunner entrega a Percy uma espada disfarçada de caneta. Grover, que é revelado como um sátiro, e Percy partem para o acampamento de treinamento para semideuses, Acampamento Meio-Sangue, ao lado da mãe de Percy, Sally Jackson (Catherine Keener). Sua mãe é impedida de entrar no local por ser totalmente humana, e eles são atacados pelo Minotauro. Percy consegue destruí-lo, mas, antes disso, sua mãe é capturada por ele e desaparece.
No dia seguinte, Percy acorda pensando que tudo não passara de um sonho, mas Grover, que é seu "protetor", lhe revela que havia realmente acontecido, e ele acredita que sua mãe está morta. Enquanto é levado para um passeio para conhecer o acampamento, ele descobre que Brunner é, na verdade, o centauro Quíron, o treinador do acampamento, e que seu pai é Poseidon. Ele também conheceLuke Castellan (Jake Abel), filho de Hermes, e Annabeth Chase (Alexandra Daddario), filha de Atena. Durante um treinamento do acampamento, Percy percebe que ter o poder de curar seus machucados e tornar-se mais forte e habilidoso com a água.
À noite, durante uma festa, Hades aparece e revela que Sally Jackson está viva e é sua prisioneira, e propõe que ela seja trocada pelo raio mestre de Zeus. Percy decide, então, viajar com Grover e Annabeth para o Mundo Inferior, e eles recebem de Luke um tênis voador, que pertencia ao seu pai, um escudo, e um mapa para três pérolas de Perséfone (Rosario Dawson) que permitiriam que eles saíssem do Mundo Inferior.
A réplica do Partenon, em Nashville,Tennessee, foi utilizada durante cenas do filme.
Durante a procura pela primeira pérola, eles são atacados pela Medusa (Uma Thurman), mas conseguem decapitá-la e tirar a pérola de seu bracelete. Eles também levam sua cabeça, que mais tarde usam para transformar em pedra uma hidra durante a procura da segunda pérola, em uma estátua gigante de Atena na réplica do Parthenon, em NashvilleTennessee. Eles vão procurar a última pérola no Lotus Hotel e Casino, em Las Vegas, onde passam a ser enfeitiçados pelo lugar, que faz com que o tempo passe devagar e nunca se queira sair. Poseidon os ajuda, alertando Percy mentalmente do perigo do lugar, e eles conseguem pegar a pérola em uma roleta e ir embora.
Quando estão com as três pérolas, o mapa mostra a entrada do Mundo Inferior , próximo ao sinal de Hollywood. Os três entram no Mundo Inferior, onde Percy tenta convencer Hades que não roubou o raio mestre. Percy descobre então que o raio estava em seu escudo, e Hades não acredita que ele não sabia disso. Hades consegue apoderar-se do raio, mas, com a ajuda de Perséfone, eles o recuperam e podem partir, mas são obrigados a deixar um deles para trás, já que cada pérola transporta apenas uma pessoa. Grover decide que irá ficar, e os outros três vão rapidamente para o Olimpo, pois o prazo dado por Zeus estava acabando e uma guerra entre os deuses poderia começar.
Eles são confrontados por Luke, que revela ser o verdadeiro ladrão do raio e a sua raiva dos deuses. Ele afirma que acreditava que os três não sairiam vivos do Mundo Inferior, e batalha com Percy. Depois de vencer a luta contra Luke, usando seus poderes com a água, Percy consegue chegar ao Olimpo pouco depois do fim do prazo, mas Zeus o escuta; ele conta toda a verdade sobre Luke e devolve o raio mestre. Percy pede então que Zeus resgate Grover do Mundo inferior, e o deus concorda. Poseidon conversa com seu filho e o explica que a razão para nunca ter estado presente, uma regra criada por Zeus - sobre a qual Annabeth já havia falado a Percy - que impede que os deuses tenham maior contato com seus filhos meio-humanos, e que foi criada por sua causa. Percy retorna para o acampamento, onde continua seu treinamento.




Esse livro conta todas as histórias ligadas a mitologia grega.E desse livro que eu aprendi quase tudo sobre a mitologia grega e é dele quase tudo que eu posto aqui nesse blog.
As Crônicas de Nárnia
As crônicas de nárnia e uma série de livros e de filmes que se passa num senario baseado na mitologia grega,onde aparesse monstros,seres falantes e reis e rainhas. As Crônicas de Nárnia (título no Brasil) ou As Crónicas de Nárnia (título em Portugal) (The Chronicles of Narnia, no original em inglês), é uma série de sete livros de fantasia, escrita pelo autor britânico Clive Staples Lewis (conhecido simplesmente como C.S.Lewis). É a obra mais conhecida do autor, e a série é considerada um clássico da literatura infantil, tendo vendido mais de 120 milhões de cópias em 41 idiomas. Escrito por Lewis entre 1949 e 1954, e ilustrado por Pauline Baynes, as Crônicas de Nárnia foram adaptadas diversas vezes, inteiramente ou parcialmente, para a rádiotelevisãoteatro e cinema. Além dos tradicionais temas cristãos, a série usa caracteres da mitologia grega e nórdica, bem como os tradicionais contos de fadas.
As Crônicas de Nárnia apresentam, geralmente, as aventuras de crianças que desempenham um papel central e descobrem o ficcional Reino de Nárnia, um lugar onde a magia é corriqueira, os animais falam, e ocorrem batalhas entre o bem e o mal. Em todos os livros (com exceção de "O Cavalo e seu Menino") os personagens principais são crianças de nosso mundo, que são magicamente transportadas para Nárnia a fim de serem ajudadas e instruídas pelo Grande Leão conhecido como Aslam (ou Aslan, dependendo da tradução).
Ainda durante sua infância, Lewis criava ilustrações para as histórias que escrevia.Quando o livro O Leão, a Feiticeira e o Guarda-Roupa estava prestes a ser publicado, ele havia pensado na possibilidade de ilustrá-lo, mas acabou solicitando uma desenhista profissional, Pauline Baynes, que na época tinha um pouco mais de vinte anos de idade, mas que já tinha ilustrado o último livro do autor J. R. R. Tolkien (chamado de Mestre Gil de Ham). Lewis, então, decidiu que ela seria a pessoa ideal para ilustrar as pessoas e os fantásticos seres em O Leão, a Feiticeira e o Guarda-Roupa; porém ela acabou ilustrando os sete livros da série.
No Brasil, a série As Crônicas de Nárnia foi editada inicialmente pela ABU Editora, e era praticamente desconhecida até o lançamento do filme The Chronicles of Narnia: The Lion, the Witch and the Wardrobe, que fez com que os livros fossem os mais vendidos no país


E um filme baseado na historia de os 12 trabalhos de Hércules.

Sinopse

Hércules, é filho Jairo Zeus e Hera. Porém seu tio Hades deseja dominar o Olimpo, e descobre que terá uma oportunidade em 18 anos, porém Hércules pode detê-lo. Hades então manda seus capangas Agonia e Pânico sequestrar o bebê Hércules, dar-lhe uma poção que lhe tiraria a imortalidade e matá-lo. Porém enquanto davam a poção, são surpreendidos pelo casal Anfitrião e Alcmena, e no susto fazem Hércules perder a última gota - o que lhe mantêm a força divina. O casal cria o menino, que sendo desajeitado e forte, causa muitos desastres. Adulto, precisa provar para seu pai que é um grande herói, a fim de recuperar a divindade. Para isso, terá que decidir entre seus poderes e seu verdadeiro amor. Mas só depois de aprender que o importante não é o tamanho de sua força, mas sim o de seu coração, que ele se tornará invencível.
A  Walt Disney tambem fez uma historia em desenho baseado na historia de Hércules,para o público infantil.

Sinopse

Hércules, é filho Jairo Zeus e Hera. Porém seu tio Hades deseja dominar o Olimpo, e descobre que terá uma oportunidade em 18 anos, porém Hércules pode detê-lo. Hades então manda seus capangas Agonia e Pânico sequestrar o bebê Hércules, dar-lhe uma poção que lhe tiraria a imortalidade e matá-lo. Porém enquanto davam a poção, são surpreendidos pelo casal Anfitrião e Alcmena, e no susto fazem Hércules perder a última gota - o que lhe mantêm a força divina. O casal cria o menino, que sendo desajeitado e forte, causa muitos desastres. Adulto, precisa provar para seu pai que é um grande herói, a fim de recuperar a divindade. Para isso, terá que decidir entre seus poderes e seu verdadeiro amor. Mas só depois de aprender que o importante não é o tamanho de sua força, mas sim o de seu coração, que ele se tornará invencível.



Os Cavaleiros do Zodíaco


Os Cavalheiros dos Zodiacos e um desenho japonês,que tem tanto como anime e mánga.Esse desenho conta a historia de cavalheiros que ganham armaduras de ouro,prata e bronze,para proteger a deusa Atena do mal.
A série foi originalmente exibida em Portugal pelo Canal 1 da RTP entre 13 de Setembro de 1992 e 30 de Maio de 1993, na sua versão original japonesa e sem genérico de abertura ou encerramento. A exibição da série acabou por ser prematuramente cancelada, com apenas 36 episódios, por alegadas queixas relacionadas com o seu conteúdo violento da parte de pais. Embalada pelo estrondoso sucesso de Dragon Ball Z, a SIC iniciou a transmissão de uma versão portuguesa da série em 19 de Setembro de 1999 a SIC, exibindo todos os episódios à excepção do 37. A passagem da série pela SIC foi marcada pela constante mudança de horário, que começou aos domingos pelas 12 horas, passou para terças e quintas às 9 horas e tendo acabado nesses dias às 7:30 da manhã. Desde 2009, o canal Animax tem transmitido a versão japonesa com legendas.
No dia 13 de Junho de 2011 a Band começou uma nova reprise completada Saga de Hades no programa Band Kids.

Enredo

Seis anos antes dos eventos descritos pela série, cem órfãos do Japão são enviados para diversas partes do mundo para que se tornem lendários guerreiros conhecidos como "Cavaleiros", soldados sob o comando da deusa grega Atena. Tais guerreiros são protegidos por uma constelação celestial.O poder dos Cavaleiros se origina do entendimento da natureza do "Cosmo", uma essência espiritual que teve origem com o Big Bang. O conceito do "Cosmo" dita que cada átomo do corpo humano é similar a um pequeno sistema solar, e como o corpo possui biliões de átomos, sua totalidade forma um "pequeno Cosmo" ou um "pequeno universo". Cada pessoa possui um Cosmo único, e os Cavaleiros são capazes de utilizá-lo para realizar actos sobre-humanos.
O foco da história é em um dos órfãos chamado Seiya. Enviado para o Santuário na Grécia para se tornar o Cavaleiro de Pégaso, ele cumpre sua missão após seis anos de treinamento e retorna ao Japão para rever sua irmã mais velha. Como a mesma desapareceu no mesmo dia em que Seiya viajou para o Santuário, Saori Kido, a neta do homem que enviou todos os órfãos para treinar, faz um trato com ele e o convence a participar da Guerra Galática, um torneio que reúne os órfãos que se tornaram Cavaleiros para que se enfrentem em busca do prémio: a Armadura de Ouro de Sagitário. Se Seiya participasse e ganhasse, Saori iniciaria uma busca por sua irmã.
Durante a série, Seiya se torna amigo e aliado de outros Cavaleiros de Bronze: Shun de Andrômeda, Shiryu de Dragão, Ikki de Fênix e Hyoga de Cisne. Juntos, eles lutam para proteger a deusa Atena de qualquer perigo, assim como seus antecessores fizeram durante milénios. 

Príncipe da Persia: As Areias do Tempo (no original:Prince of Persia: The Sands of Time) é um filme de ação/aventura/fantasia de 2010, baseado no jogo eletrônico de mesmo nome lançado em 2003. O filme é dirigido por Mike Newell, produzido por Jerry Bruckheimer e com roteiro do criador do jogo eletrônico, Jordan Mechner. O longa estrela Jake GyllenhaalGemma ArtertonBen Kingsley e Alfred Molina. As filmagens foram feitas no Reino Unido e Marrocos. Prince of Persia: The Sands of Time foi lançado em 3 de junho de 2010 no Brasil. 

Enredo


Dastan (Jake Gyllenhaal), um órfão no Império Persa adotado pelo rei, e seus irmãos de sangue adotivos, Tus (Richard Coyle) e Garsiv (Toby Kebbell), e seu tio, Nizam (Ben Kingsley) estão planejando um ataque na cidade sagrada de Alamut, que acreditam estar vendendo armas aos inimigos da Pérsia. Dastan leva um ataque surpresa bem sucedido na cidade e depois de uma luta ele se apodera de uma adaga. Princesa de Alamut, Tamina, é capturada e concorda em casar com Tus, a fim de alcançar a paz.
Sharaman (Ronald Pickup), o rei da Pérsia, censura Tus, por atacar a cidade e sugere que Dastan, ao invés de Tus, deva se casar com Tamina. Príncipe Dastan inconscientemente apresenta uma túnica envenenada, dada a ele por Tus, a seu pai, que morre após vesti-la. Dastan é responsabilizado pelo assassinato do rei e foge a Alamut com a princesa Tamina. Em seu primeiro acampamento, Tamina tenta matar o príncipe e recuperar a adaga, durante o qual Dastan descobre que a adaga pode reverter o tempo. Durante sua jornada, a dupla encontra um organizador local de corridas de avestruz e empresário fiscal avesso, Sheik Amar (Alfred Molina), com seu amigo africano atirador de facas, Seso (Steve Toussaint). Dastan oferece Tamina como escrava em troca de suprimentos, no entanto, Amar trai ele porque ele o reconhece como o assassino do rei, para quem existe uma recompensa "obscena" sendo oferecida. Dastan e Tamina escapam e voltam para a Pérsia para o funeral do Rei Sharaman; aqui, Dastan tenta convencer seu tio Nizam que ele não matou seu pai. Dastan descobre que Tamina pegou a adaga, no entanto, ele então observa que as mãos de Nizam estão queimadas, queimadas pelo mesmo veneno que colocaram no manto que matou seu pai. Garsiv e os guardas da cidade aparecem e atacam Dastan e ele é forçado a fugir.
Dastan alcança Tamina e explica que o irmão vilão do rei, Nizam, estava por trás do assassinato. Depois Tamina finalmente explica tudo sobre a Adaga, Dastan percebe porque Nizam quer a Adaga do Tempo: para usá-la com a enorme Ampulheta para voltar no tempo e desfazer o salvamento de Sharaman de um leão para que ele pudesse se tornar rei. Ele fabricou as falsas acusações de que Alamut já estava lidando armas aos inimigos da Pérsia de modo que ele teria a oportunidade de procurar a cidade para a ampulheta. No entanto, a abertura da Ampulheta vai desencadear uma tempestade de areia apocalíptica que iria acabar com o mundo. Enquanto isso, Nizam tenta convencer Garsiv e Tus que Dastan está tentando derrubá-los e deve ser morto imediatamente, quando isto falha, ele contrata os Hassansins, um grupo de guerreiros altamente qualificados, que uma vez serviu como assassinos de aluguel para a realeza persa, para matar Dastan.
Dastan e Tamina são novamente capturados pelo Sheik Amar e por Seso, procurando recriar o seu negócio arruinado, transformando-os para a generosidade enorme. Mas naquela noite, quando todos estão dormindo, o líder Hassansin, Zolm (Gísli Örn Gardarsson) ataca o grupo, controlando uma série de víboras. Muitos do grupo morrem, mas Dastan usa a Adaga e consegue matar todas as cobras e salvar a todos. No dia seguinte, o casal, acompanhado por Sheik e Seso, viajam para um refúgio secreto nas montanhas próximas à Índia, onde é possível selar afastado da Adaga. No entanto, se deparam com homens de Garsiv. Dastan consegue convencer seu irmão que ele é inocente, apenas para Garsiv ser mortalmente ferido por um Hassansin, Setam. O ataque dos Hassansins, mata a maioria do grupo, enquanto Dastan e Tamina fogem para a caverna secreta onde eles podem esconder a Adaga. Tamina diz que está pronta para desistir de sua vida para proteger a Adaga, mas Dastan para ela e diz que ele não está pronto para ela morrer. Eles são encontrados e atacados e Zolm consegue tirar a Adaga do Tempo de Tamina. Entretanto, Dastan é salvo do último Hassansin, Tamah, por Garsiv, que depois morre de suas feridas.
O grupo retorna a Alamut para revelar a verdade sobre Nizam e a Adaga de Tus. Eles aprendem que a Adaga está sendo vigiada pelo Hassansin que matou Garsiv, Setam ("uma espécie de demônio... coberto de espinhos" - Tamina). Seso é voluntário para a tarefa de derrotar Setam e recuperar a Adaga. Ele derrota Setam em um duelo, mas é mortalmente ferido. Ele consegue arremessar a Adaga até Dastan, antes que ele sucumbe aos seus ferimentos. Dastan confronta Tus e explica a mecânica da adaga com ele e então apunhala a adaga em seu coração, matando a si mesmo; Tus traz Dastan de volta à vida pela reversão do tempo e percebe que seu irmão tinha sido inocente o tempo todo. Pouco depois, porém, Nizam chega e mata Tus, deixando seu guarda Hassansin, Ghazab, para matar Dastan. A Adaga está mais uma vez nas mãos de Nizam, mas Dastan consegue derrotar Ghazab com a ajuda de Tamina. Nizam vai para as cavernas da Ampulheta abaixo de Alamut, como Dastan e Tamina tomam uma rota mais secreta: um túnel subterrâneo. Depois de uma curta batalha contra o Zolm, Tamina pega uma das cobras Zolm e esfaqueia suas presas nos olhos Zolm, ferindo-o mortalmente e enviando-o em queda livre até sua morte em um abismo. Dastan e Tamina se beijam pela primeira vez. Eles, então, alcançam Nizam antes que ele possa perfurar a Ampulheta com a Adaga, mas ele bate em Tamina e Dastan sobre a borda. Dastan agarra Tamina, sabendo que ele não pode parar Nizam e também salvá-la, Tamina diz a Dastan para deixá-la ir, porque é seu destino salvá-los, mas Dastan se recusa a deixá-la ir. Tamina professa seu amor por Dastan, desejando que eles poderiam ficar juntos, despencando para a morte e sacrificando-se para parar Nizam. Desolado, Dastan assiste sua queda. Conduzido para lutar, Dastan consegue se levantar. Nizam apunhala a Ampulheta com a Adaga, mas Dastan agarra e abre a Adaga em vez de ativá-la, fazendo com que as Areias do Tempo fluam livremente, ao invés de destruir o mundo. O tempo reverte para quando Dastan obtém pela primeira vez a Adaga, agora plenamente consciente de tudo o que ocorreu.
Dastan para o cerco de Alamut, revelando a traição de Nizam; Nizam ataca Dastan, mas é morto por Tus. Depois de se desculpar pelo saque de sua cidade, Tus sugere que talvez Tamina devesse se tornar a mulher de Dastan como um sinal de boa vontade. O Príncipe retorna a Adaga do Tempo para ela, que muda a opinião de Tamina de Dastan. Mais tarde, os dois tomam uma caminhada juntos, e Dastan e Tamina tem uma pequena conversa, na qual Dastan fala de seu conhecimento dos poderes da Adaga e diz a Tamina que está ansioso para ter um futuro com ela.
Jogos do Príncipe da Pércia

Prince of Persia: The Sands of Time

Prince of Persia: The Sands of Time é um jogo eletrônico de ação-aventura em terceira-pessoa que foi desenvolvido e publicado pelaUbisoft. Ele foi primeiramente lançado em 2003para o console PlayStation 2 e mais tarde para Nintendo GameCubeXbox e PC, recebendo também uma conversão em 2D para o portátil Game Boy Advance e para celular. O jogo é a continuação da série Prince of Persia, que foi criada por Jordan Mechner em 1989 com o título Prince of PersiaThe Sands of Time, inicialmente desenvolvido peloUbisoft Montreal, conseguiu transferir e expandir as mecânicas de jogabilidade do primeiro jogo para a geração de jogos em 3D sucessivamente, enquanto uma tentativa anterior, feita pela The Learning Company em 1999, intitulada Prince of Persia 3D, falhou em atender os padrões de aceitação dos críticos.
The Sands of Time foi elogiado pelo seu design visual, por suas mecânicas de jogabilidade equilibradas e pelo seu enredo intrigante.Nos sites agregadores de notas Metacritic e Game Rankings, o jogo recebeu uma nota média de 91%, ao mesmo tempo em que foi premiado por variadas publicações de videogame. O sucesso do jogo resultou na produção e lançamento de duas sequências: Prince of Persia: Warrior Within e Prince of Persia: The Two Thrones, em 2004 e 2005, respectivamente., e mais recentemente, um filme homônimo.

História

No Império Persa, o Rei Shahraman e seu filho Prince (lembrando que Dastan é um nome atribuído ao prince apenas no filme, e que no jogo o nome dele permanece desconhecido), em busca de honra e glória, invadem a Índia e derrotam o poderoso marajá com a ajuda do Vizier, um subordinado deste último que o traiu. Durante a batalha, Prince encontra uma misteriosa adaga e, ao acionar sem querer um botão em sua empunhadura, descobre que ela permite o seu dono voltar no tempo. Após a invasão, eles seqüestram a princesa Farah, filha do marajá, e se apoderam de seu palácio e tesouros, incluindo uma adaga e uma ampulheta gigante. Vizier, sabendo que a Dagger of Time (em português, "Adaga do Tempo") e aHourglass of Time (em português, "Ampulheta do Tempo") juntos podiam dar ao seu dono o poder da imortalidade, esconde esse fato dos outros e começa a elaborar planos para se apoderar de ambos os itens.
Após o Prince matar alguns monstros com a adaga e absorver a areia do corpo deles, uma coluna feita de Sands of Time lhe aparece, mostrando-lhe, através de visões, o futuro.[carece de fontes] Durante a sua jornada, Prince encontra Farah, e de início não confia nela, mas com o tempo os dois unem suas forças e se tornam cada vez mais próximos. Quando finalmente encontram a Hourglass of Time, Farah fala para o Prince cravar a adaga no topo dele. O Prince, que em uma de suas premonições havia visto Farah roubando a adaga, e considerando que ela teria razões de sobra para odiar ele e seu povo, não confia nela. Durante este momento de hesitação, o Vizier aparece e lança uma magia em direção a eles, lançando-os para fora do local através de um buraco na parede. Logo em seguida, eles caem no centro de uma tumba.
Prince então acorda no acampamento do seu exército, ainda com a Dagger of Time, e atravessa uma floresta até o quarto de Farah para lhe devolver a adaga. Devido ao fato de ele ter voltado no tempo, ele era o único que sabia do que aconteceu, precisando então contar primeiro a história sobre a invasão da Índia, a traição de Vizier e o que eles viveram juntos a Farah. Ao terminar de contar tudo, o Vizier aparece para tentar matá-lo, acusando-o ser um mero intruso mentiroso, mas durante a batalha revela a sua intenção de trair o rei. Após derrotar o Vizier, Farah lhe pergunta por que que ele inventou uma história tão absurda apenas para somente devolver a adaga, alegando que ela não é uma criança que crê nessas coisas. Prince simplesmente concorda com ela quanto à história não ser verdadeira, e lhe entrega a adaga. Quando está indo embora, Farah pergunta seu nome, e Prince diz para chamá-lo de "Kakolukia". Farah fica surpresa ao perceber que a história era, de fato, verdadeira, e Prince vai embora.

Prince of Persia: Warrior Within


Com o sucesso contínuo da série Prince of Persia, uma sequência foi feita no mesmo enredo de The Sands of Time e Warrior Within:Prince of Persia: The Two Thrones, que foi lançado em novembro de 2005 completando a trilogia The Sands of Time. Uma conversão de Warrior Within foi elaborada pela Pipeworks Software intitulada Prince of Persia: Revelations, sendo lançada em 6 de dezembrode 2005 para o console portátil PlayStation Portable. A conversão possui conteúdo adicional, como três áreas extras que não são disponíveis em Warrior Within.
 

Enredo

Sete anos após os eventos de Prince of Persia: The Sands of Time, o Prince descobre que está sendo caçado por Dahaka, o Guardião da linha do tempo. Devido ao fato do Prince ter escapado do seu destino, o Dahaka tenta assegurar que o Prince morra como ele deveria. Após pedir conselhos do Old Man, o Prince se informa sobre a Island of Time (em português, "Ilha do Tempo"), o local no qual as Sands of Time ("Areia do Tempo") foram criadas, que é governada pela Imperatriz do Tempo. Então, ele zarpa em direção à Ilha do Tempo para tentar prevenir que as Areias do Tempo não sejam criadas, através de viagens de volta no tempo, acreditando que caso as Areias nunca existissem, Dahaka não teria problema com ele.

História

Quando o Prince se aproxima da Ilha do Tempo, o seu navio é atacado por uma tripulação de monstros de areia que é liderada por uma misteriosa mulher chamada Shahdee. Após o ataque, e tendo a sua tripulação aniquilada, o Prince é brutamente jogado ao mar após um confronto com ela. Ele é levado pela correnteza até as praias da ilha, por onde ele começa a se aventurar atrás de sua inimiga. Ele entra em um palácio e, eventualmente, a encontra entrando em um Portal do Tempo, que interligam o passado e o presente naquele local. Assim, o Prince continua a sua perseguição durante o passado. Explorando o palácio, o Prince se depara com uma mulher de vermelho lutando contra Shahdee. Ele enfrenta esta última, matando-a. Logo após isto, a mulher o dá as costas, ignorando as suas palavras.
Eventualmente ele a encontra novamente em frente ao portão da sala do trono do palácio. O Prince revela o seu objetivo de ter uma audiência com a Imperatriz do Tempo, mas é incapaz de fazê-lo devido às duas travas do portão que leva à sala do trono, o local no qual a Imperatriz estava se escondendo. A mulher lhe diz que, para retirar estas duas travas, o Prince deve seguir caminho a duas torres da ilha, ativando um mecanismo hidráulico gigante em cada uma delas. Ela conclui dizendo que o seu nome é Kaileena, e entrega uma espada que o dará acesso à entrada das torres. Durante o seu caminho, o Prince é perseguido várias vezes pelo Dahaka, descobrindo que ele possui aversão a água. Além disso, ocasionalmente, ele se depara com uma estranha criatura antropomórfica de olhos azuis brilhantes, que aparenta seguí-lo em certas ocasiões. No último destes encontros, ambos o Dahaka e tal criatura aparecem para o Prince e, aparentemente por sorte, Dahaka captura a criatura, deixando o Prince vivo.
Após conseguir ativar o mecanismo das duas torres, o Prince retorna à sala do trono. Ao entrar na sala com Kaileena, esta os tranca na sala, revelando que ela era, de fato, a Imperatriz do Tempo. Ela revela que tinha enviado Shahdee para matá-lo e evitar que ele alcançasse a ilha, que o guiou às duas torres esperando que ele sucumbisse às armadilhas no caminho, e até amaldiçoou a espada dada por ela para que este morresse. O seu objetivo era, assim como o do Prince, tentar mudar o seu destino, já que ela tinha visto na linha do tempo que morreria nas mãos do Prince. Shahdee, considerando este objetivo de mudar o destino fútil, trai Kaileena apenas para ser morta pelo Prince. Ele então a enfrenta e consegue matá-la no passado, retornando ao presente logo após. O Prince, acreditando que conseguiu enganar o seu destino, logo descobre que, quando ele matou Kaileena, as Areias do Tempo foram criadas a partir dos seus restos mortais. Após uma longa perseguição do Dahaka cada vez mais furioso, o Prince começa a perder as esperanças, até que descobre a existência da "Mask of the Wraith" ("Máscara do Espectro"), que é conhecida por dar ao seu dono o poder de coexistência consigo mesmo em duas diferentes épocas na mesma linha do tempo. O Prince encontra e coloca a máscara, transformando-se no "Sand Wraith" ("Espectro de Areia"), a mesma criatura de olhos azuis brilhantes antes vista pelo protagonista.
O Prince, durante o seu caminho de volta à sala do trono, testemunha vários encontros ocasionais com a sua própria pessoa passada, assistindo às mesmas cenas só que de um ângulo diferente. Eventualmente, ele descobre que, para retirar a máscara, a sua outra versão na linha do tempo deveria ser assassinada. Assim, no último encontro onde estão ele, a sua outra versão e o Dahaka, o Prince consegue fazer com que a sua versão normal seja capturada por Dahaka, contrariando os eventos antes vistos. Assim, após retirar a máscara, ele chega à conclusão que matar Kaileena no presente, ao invés de no passado, irá fazer com que as Areias do Tempo sejam criadas, mas evitará que elas sejam encontradas pelomarajá e, consequentemente, evitará que ele as liberte durante os eventos de The Sands of Time em Azad. O Prince então força Kaileena para o presente, jogando-a em um Portal do Tempo.

Prince of Persia: The Two Thrones

Prince of Persia: The Two Thrones (Príncipe da Pérsia: Os Dois Tronos em português, também conhecido como Prince of Persia: Kindred Blades durante a sua produção)é um jogo de ação-aventura que foi desenvolvido e publicado pela Ubisoft Montréal paravideogames e computadores. Foi lançado em dezembro de 2005 na América do Norte e na região PAL para os consoles PlayStation 2,XboxNintendo GameCube,assim como para PC celular.Foi mais tarde convertido para PlayStation Portable[10] eWii sob o título Prince of Persia: Rival Swords, em abril de 2007.
Sendo a sequência direta de Prince of Persia: Warrior WithinThe Two Thrones é o último capítulo da trilogia "The Sands of Time"O seu enredo é focado na luta entre o Prince e o Vizier, tendo este sido o antagonista do primeiro jogo da trilogia, Prince of Persia: The Sands of Time. Enquanto o seu antecessor adotou um visual sombrio e gótico, os produtores tentaram resgatar o estilo encontrado no aclamado The Sands of Time para The Two Thrones e criar um meio termo entre os dois, adotando um visual e uma personalidade menos violenta para o protagonista e compondo uma trilha sonora menos "pesada". Na jogabilidade, foi introduzida uma novidade à série: o sistema speed kill, que consiste de usar de stealth para matar inimigos sem ser notado.
Prince of Persia: The Two Thrones foi, em geral, considerado um sucesso pelos críticos, recebendo uma nota média de 85% dos sites agregadores Game Rankings e Metacritic. Também foi considerado um passo a frente para a série, tendo compensado as falhas de Warrior Within para com a trilogia.

História

Após os eventos do jogo anterior, Prince e Kaileena retornam à Babilônia. Quando o barco de Prince vai se aproximando do porto da cidade, ele remove o medalhão de sua armadura e o joga no mar. Ao chegar à Babilônia, ele fica horrorizado ao encontrá-la em chamas e devastada pela guerra.O seu barco é atacado e ele e Kaileena são jogados no mar, com Kaileena sendo capturada depois do naufrágio. Após percorrer a cidade atrás de Kaileena, Prince descobre que, como resultado de seus esforços na Island of Time para prevenir que asSands of Time (em português, "Areias do Tempo") fossem criadas, os eventos de The Sands of Time nunca chegaram a acontecer e, assim, Vizier nunca foi assassinado.[16][nota 3]Vizier mostra que possui a Dagger of Time (em português, "Adaga do Tempo") e também o bastão mágico.[nota 4]Ele estava à procura das Sands of Time e capturou a Imperatriz do Tempo para adquiri-las.[nota 4] Quando Prince é visto, ele é interceptado por dois subordinados de Vizier, sendo imobilizado por um chicote laminado que é então enrolado em volta de seu braço, perfurando-o. Vizier então mata Kaileena e liberta as Sands of Time, que colidem em todos que estão por perto.[14] Logo em seguida, ele apunhala a si mesmo com aDagger of Time, tornando-se um ser imortal: Zurvan, o Deus do Tempo. As Sands of Time também alcançam Prince, infectando a sua ferida aberta e fundindo o chicote com o seu braço. Então, ele consegue se libertar e escapar, adquirindo a Dagger of Time no processo.
Durante o seu caminho pela cidade para novamente matar Zurvan, Prince percebe que as Sands of Time afetaram a sua mente.[nota 2] Ele é então dividido basicamente em duas personalidades: uma dominante que procura fazer o bem, apesar de ser movida por vingança, e a do Dark Prince, manifestada por uma voz interior que fala com ele. Dark Prince é um ser arrogante e cruel que tenta arduamente convencer o Prince que eles são a mesma pessoa,[nota 1] discutindo constantemente com Prince fazê-lo se importar só consigo mesmo, usando o desejo de vingança dele como um catalisador para tal.[16][23] Eventualmente, Prince encontra Farah, que não se lembra dele devido às suas ações na Island of Time,[nota 3]mas eventualmente concorda em cooperar com ele. Enquanto procura por Zurvan, Prince vai descobrindo cada vez mais sobre a natureza de Dark Prince que, de fato, não faz parte de si mesmo, sendo somente a manifestação das Sands of Time que tentam dominar o seu corpo e mente. Eventualmente, ele começa a ignorá-lo, sendo inspirado por Farah para agir pela compaixão pelo seu povo que está sofrendo, ao invés de ser movido pela vingança contra Zurvan.[nota 5]
Quando Prince finalmente encontra Zurvan, este captura Farah e joga Prince em um abismo que leva a túneis, onde Dark Prince tenta tomar controle dele mais agressivamente. Mais tarde, ele encontra o cadáver de seu pai, com quem ele queria reconciliar-se, e é forçado a enfrentar as consequências dos seus maus atos. Ao aceitá-las, Prince consegue silenciar Dark Prince, aparentemente para sempre.[nota 6] Então, ele consegue escapar do local e mais uma vez enfrenta Zurvan, conseguindo matá-lo com a Dagger of Time enfiada em seu coração. Após a batalha, Kaileena aparece e recolhe toda a areia espalhada pela região, curando Prince de todas as suas feridas e de sua infecção no braço, se despedindo logo após com a Dagger of Time em mãos.[nota 7] Em seguida, quando Prince se inclina para pegar a coroa de seu pai, ele é confrontado por Dark Prince, que o joga em sua própria mente, onde ambos começam a lutar pelo controle.[nota 8] Após perseguir o seu rival em sua própria mente, eventualmente Farah lhe aparece, dizendo que o melhor a se fazer é ignorá-lo.[nota 9]Assim, Prince percebe que lutar contra Dark Prince só aumentava a sua raiva, o que o alimentava, então decide simplesmente deixá-lo para trás. Este, por si, é permanentemente silenciado, esfomeado de raiva e agressão. Ao fim do jogo, Prince acorda ao lado de Farah.[nota 10]

Prince of Persia: The Forgotten Sands

Prince of Persia: The Forgotten Sands (Príncipe da Pérsia: As Areias Esquecidas, em portugues) é um jogo eletrônico futuro multi-plataforma desenvolvido pela Ubisoftagendado para lançamento em 18 de maio de 2010 na América do Norte e 20 de maio na Europa.O título é o jogo mais recente da série Prince of Persia, e marcará o retorno do enredo iniciado por Prince of Persia: The Sands of Time. As versões para Wii e PSP estão sendo desenvolvidas pela Ubisoft Quebec, enquanto que as versões paraPlayStation 3Xbox 360 e Microsoft Windows estão sendo produzidos pela Ubisoft Montreal com a ajuda da Ubisoft Singapore, e a versão para Nintendo DS pela Ubisoft Casablanca.

Enredo

O enredo do jogo, feito para PS3Xbox 360 e PC, começa com o Prince atravessando o deserto em seu cavalo, indo ver seu irmão, Malik, e aprender sobre liderança com ele. Quando o Prince chega ao reino de Malik ele o encontra em guerra contra um exército, o Prince se infiltra no reino e encontra Malik e o encontra nas câmaras do tesouro.
Lá, Malik diz que está lutando uma batalha perdida, e precisa confiar em um último recurso ou ser forçado a desistir. O Prince se objeta, mas Malik libera o Exército de Salomão usando um selo mágico. O exército consiste em várias criaturas, todas feitas de areia, supostamente suficientes para se igualar aos grãos de areia no deserto. O Prince e Malik conseguem, cada um, ficar com metade do selo usado para liberar o exército, os protegendo de serem transformados em estátuas, o que era o destino do resto do reino. O selo também permite que absorvam o poder dos inimigos que eles derrotarem.
Malik é separado de Prince, que encontra um portal para os aposentos Razia, uma Djinn. Razia fala para Prince que o Exército de Salomão não era de Salomão, mas havia sido mandado para matá-lo. Ela diz para ele que o único jeito re-aprisionar o exército é juntando novamente as duas partes do selo que foi usado para liberá-lo. Razia dá ao Prince poderes especiais e o manda procurar por Malik, e a outra parte do selo. Quando o Prince encontra Malik, descobre que ele não está interessado em parar o Exército de Salomão, mas quer destruir o exército e tomar seu poder para se tornar um líder mais poderoso. O Prince encontra Razia novamente, e a pergunta sobre isso, ela diz que é um efeito de absorver muito poder do exército, e que os poderes que ela deu ao Prince o protegem desse efeito.
O Prince se encontra com Malik mais uma vez, dessa vez para forçá-lo a entregar a outra metado do selo, mas Malik está mais forte e consegue escapar. Perseguindo Malik novamente, o Prince encontra Ratash, o líder do Exército de Salomão, perseguindo qualquer um que possuir o selo. Depois do Prince despistá-lo, ele conclui que agora Ratash está atrás de Malik, então ele se prepara para proteger seu irmão. O Prince chega na sala do trono e encontra Malik e Ratash lutando, ele ajuda Malik. O Prince e Malik parecem ter matado Ratash, e Malik absorve o seu poder, estilhaçando sua parte do selo. Malik então foge, aparentemente histérico, usando alguns dos poderes de Ratash para escapar.
O Prince o persegue uma vez mais, e novamente encontra Razia. Razia explica que Ratash não pode ser morto por qualquer espada, e que o que realmente aconteceu não foi assim como o Prince viu. Ratash matou Malik e tomou formato de seu corpo. O Prince não acredita nisso, e vai em busca da Espada Djinn, que Razia diz poder matar Ratash.
Pelo caminho, o Prince persegue Ratash, testemunhado-o ganhar tanto poder que poderia mutar o corpo de Malik de volta para a sua forma original. O Prince perde uma batalha contra Ratash, e fica convencido de que seu irmão está realmente morto, então, quando encontra Razia mais uma vez, ele começa a perguntar suas intenções e a razão dela se importar com o reino de Malik e também pergunta por quê ela mesma não mata Ratash. Ela diz apenas que tem um papel a cumprir. Ela, então, eventualmente revela que ela era um dos 4 líderes dos Djinns, e não deixou a cidade com os outros Djinns pois ela prometeu ao rei Salomão que tomaria conta de seu reino do melhor jeito que pudesse. Quando o Prince encontra a Espada Djinn, ele a leva para Razia, que a pega em suas mãos e desaparece, deixando a espada. Quando o Prince assustado grita por seu nome, ela conversa com ele através da espada e explica que para matar um Djinn é necessária a força de outro Djinn e esse é o seu papel a cumprir. O Prince pergunta o que acontecerá com ela depois que ele matar Ratash com a espada, a única resposta que ela dá é: Nós veremos (We will see). Agora com a espada, o Prince novamente se prepara para encontrar Ratash, quando ele o encontra, Ratash está agora gigantesco, literalmente alimentado pela tempestade de areia que atingiu o lugar.
Depois disso, o Prince usa a espada para matar Ratash, e quando a tempestade e a batalha estão acabados, ele encontra Malik caído ali do lado, morrendo. Malik diz para dizer ao seu pai que o Prince será um ótimo líder, então ele morre. O Prince então se retira, para contar ao seu pai que Malik morreu.
Na narração pós-créditos, o Prince encontra a Espada Djinn e chama por Razia, mas sem resposta, então ele decide retornar a espada para o lugar em que ele a encontrou para deixar Razia descansar, já que não podia mais carregar a espada. Por fim, com o reino de Malik sendo governado pelo seu assessor, o Príncipe da Persia vai embora para dar as notícias ao seu pai. 

O Senhor dos Anéis

O Senhor dos Anéis (título original em inglêsThe Lord of the Rings) é um romance de fantasia criado pelo escritor, professor e filólogo britânico J.R.R. Tolkien. A história começa como sequência de um livro anterior de Tolkien, O Hobbit (The Hobbit), e logo se desenvolve numa história muito maior. Foi escrito entre 1937 e 1949, com muitas partes criadas durante a Segunda Guerra Mundial.Embora Tolkien tenha planejado realizá-lo em volume único, foi originalmente publicado em três volumes entre 1954 e 1955, e foi assim, em três volumes, que se tornou popular. Desde então foi reimpresso várias vezes e foi traduzido para mais de 40 línguas, somando os 3 livros publicados já venderam mais de 160 milhões de cópias,tornando-se um dos trabalhos mais populares da literatura do século XX.
A primeira edição em português, da extinta editora Artenova (tradução de Antônio Rocha e Alberto Monjardim), era constituída por seis volumes, o primeiro dos quais intitulava-se "Terra Mágica". A segunda edição em português foi editada em Portugal durante os anos de 1980, pela editora Europa América.
A história de O Senhor dos Anéis ocorre em um tempo e espaço imaginários, a Terceira Era da Terra Média, que é um mundo inspirado na Terra real, mais especificamente, segundo Tolkien, numa Europa mitológica, habitado por Humanos e por outras raças humanóides: ElfosAnões e Orcs. Tolkien deu o nome a esse lugar a palavra do inglês moderno, Middle-earth (Terra-Média), derivado do inglês antigo, Middangeard, o reino onde humanos vivem na mitologia Nórdica e Germânica. O próprio Tolkien disse que pretendia ambientá-la na nossa Terra, aproximadamente 6000 anos atrás, embora a correspondência com a geografia e a história do mundo real fosse frágil.
A história narra o conflito contra o mal que se alastra pela Terra-média, através da luta de várias raças - HumanosAnõesElfosEntsHobbits - contra Orcs, para evitar que o "Anel do Poder" volte às mãos de seu criador Sauron, o Senhor do Escuro. Partindo dos primórdios tranquilos do Condado, a história muda através da Terra-média e segue o curso da Guerra do Anel através dos olhos de seus personagens, especialmente do protagonista, Frodo Bolseiro. A história principal é seguida por seis apêndices que fornecem uma riqueza do material de fundo histórico e linguístico.
Juntamente com outras obras de TolkienO Senhor dos Anéis foi objeto de extensiva análise de seus temas e origens literárias. Embora um grande trabalho tenha sido feito, a história é meramente o resultado de uma mitologia na qual Tolkien trabalhava desde1917.[6] As influências sobre este antigo trabalho e sobre a história do Senhor dos Anéis englobam desde elementos de filologia,mitologiaindustrialização e religião até antigos trabalhos de fantasia, bem como as experiências de Tolkien na Primeira Guerra Mundial.[7] O Senhor dos Anéis teve um efeito grande na fantasia moderna, e o impacto de trabalhos de Tolkien é tal que o uso das palavras "Tolkienian" e "Tolkienesque" ("Tolkieniano" e "Tolkienesco") ficou gravado no dicionário Oxford English Dictionary.
A enorme e permanente popularidade de O Senhor dos Anéis levou a numerosas referências na cultura pop, à criação de muitas sociedades de fãs da obra de Tolkien e à publicação de muitos ensaios sobre Tolkien e seu trabalho. O Senhor dos Anéis inspirou (e continua inspirando) trabalhos de arte, a músicacinema e televisãovideogames e uma literatura paralela. O cineasta estadunidense George Lucas admitiu em uma entrevista que sua saga, Star Wars, foi inspirada na saga de Tolkien. Adaptações do livro foram feitas para rádio,teatro e cinema. Em 2001 – 2003 foi lançado o filme A Trilogia de O Senhor dos Anéis (The Lord of the Rings film trilogy), que promoveu uma nova explosão de interesse pelo Senhor dos Anéis e por outras obras do autor.
A Sociedade do Anel (A Irmandade do Anel)


Frodo Bolseiro é um hobbit do Condado, que recebe de seu tio Bilbo um anel de rara beleza. Esse anel tem uma longa história: foi roubado de uma criatura chamada Gollum (como relatado no livro O Hobbit), e desde então ele tem sido guardado por Bilbo.
Mago Gandalf, um velho amigo de Bilbo, percebe o poder que aquele anel possui, não sendo um anel comum, mas sim o Um Anel, artefato mágico forjado por Sauron, o Senhor do Escuro, e que fora perdido numa batalha muito tempo antes. Se recuperado, o Um Anel permitiria a Sauron o domínio definitivo sobre toda a Terra-média. O Um Anel, ou Anel do Poder, dera longevidade fora do comum a seu antigo dono, Bilbo, e possuia consciência, uma vontade própria que o conduzia sempre na direção do seu criador e senhor. Gandalf aconselha Frodo a deixar o Condado, planejado para ocorrer até o festa de aniversário daquele ano. Gandalf parte, para resolver alguns assuntos, mas combinando que voltaria para acompanhar Frodo, porém, não manda notícias durante vários meses. Chegando a data prevista, Frodo decide deixar o Condado, após vender Bolsão, levando consigo seus amigos SamMerry e Pippin.
Os hobbits resolvem pegar um atalho que passa através da Floresta Velha, lar de árvores que se comunicam entre si. Dentro da Floresta, os hobbits são salvos de uma árvore violenta por um estranho ser que adora cantar: o enigmático Tom Bombadil, um dos maiores mistérios de Tolkien.
Passando por outros perigos, os hobbits chegam a Bree, uma vila habitada por Homens e hobbits, perto da fronteira do Condado, e lá aceitam a ajuda de um Guardião chamado Passos de Gigante, amigo de Gandalf, que os guia até Rivendell, um reino ainda habitado por elfos, seres imortais, detentores de grande poder, beleza e sabedoria. Mas o caminho ainda é perigoso: o grupo é emboscado no Topo do Vento e Frodo acaba apunhalado por um Nazgûl, Espectro do Anel. Passos de Gigante consegue repelir a ofensiva do Inimigo e foge com Frodo, que está gravemente ferido, e os outros hobbits. Quando estão a ser novamente alcançados pelos Espectros do Anel, o elfo Glorfindel encontra-os e condu-los em segurança até Valfenda. Os Nazgûl tentam detê-los mas são varridos pela inundação súbita do rio Baraduin.
Já curado, Frodo descobre as maravilhas de Valfenda e lá é realizado um conselho liderado por Elrond, o meio-elfo mestre de Rivendell e pai de Arwen, a amada de Passos de Gigante, cujo verdadeiro nome é Aragorn, que se revela descendente de Isildur e herdeiro do Trono de Gondor.
No Conselho de Elrond são expostos os problemas relacionados ao Um Anel. Boromir, filho do regente de Gondor, sugere usar o Anel do Poder contra Sauron. Elrond e Gandalf rejeitam a ideia imediatamente e explicam os vários motivos pelos quais não podem usá-lo contra o "Senhor dos Anéis": Sauron é o único e verdadeiro mestre do Anel, pois o forjou, sendo portanto totalmente maligno, além disso, seu poder é grande demais para ser controlado por mortais comuns e mesmo os poderosos entre os povos livres da Terra-Média, como os imortais elfos (Elrond) e os magos (Gandalf), temem inclusive tocá-lo. O poder quase absoluto do anel corrompe o carácter e deforma a personalidade daquele que se atreve a empunhá-lo, ainda que movido por boas intenções. Quem quer que tente derrotar Sauron utilizando o anel, acabará tornando-se o próximo Senhor do Escuro.
Dada a impossibilidade de utilizar o Um Anel como arma de guerra, é imposta a tarefa de levá-lo até a Montanha da Perdição, um vulcão localizado no centro de Mordor, a Terra Negra do Inimigo, onde o anel fora forjado e também o único lugar onde poderia ser destruído.
Para essa missão, de sucesso improvável, é formada a Sociedade do Anel, composta por nove companheiros:quatro hobbits (Frodo,Sam,Merry e Pippin), dois humanos (Aragorn eBoromir), um elfo (Legolas), um anão (Gimli) e um mago (Gandalf). Frodo seria o Portador do Anel, aquele que deveria lançar o Anel nos fogos de Orodruin.
A Sociedade do Anel parte em direção a Sul. Cientes que essa rota está sendo vigiada pelo Inimigo, o grupo faz um desvio para Leste através das Montanhas Nebulosas, mas são obrigados a voltar por causa da neve e do frio. Um caminho alternativo leva-os até a temida Moria, reino subterrâneo dos anões, onde Gandalf é morto lutando com um Balrog, um demónio do mundo antigo. Os outros companheiros escapam e chegam em segurança a Lothlórien, reino da rainha élfica Galadriel, temida por seu poder mas dotada de rara beleza e sabedoria. Nesse reino encantado, onde o tempo parece não passar, os viajantes recebem auxílio e conselhos. Após algumas semanas de descanso, a Sociedade do Anel, agora liderada por Aragorn, parte de Lothlorien em direção a Sul, navegando pelo grande rio Anduin em canoas construídas pelos elfos da Floresta Dourada. Quando param para descansar próximo às cataratas de Rauros, Boromir tem uma discussão com Frodo, e tenta roubar-lhe o Anel do Poder. Frodo foge e decide ir sozinho para Mordor, mas acaba levando Sam. Quando os outros membros da Sociedade do Anel vão em busca de Frodo, são atacados por Uruk-hai (sub-espécie de Orc, mais alta e forte) enviados por Saruman, um mago renegado que se aliou a Sauron, mas que também ambiciona o Anel do Poder.Na luta que se segue, a Sociedade é rompida:Merry e Pippin são capturados pelos uruk-haiBoromir morre ao defendê-los, AragornLegolas e Gimli decidem resgatar os hobbitsaprisionados, Frodo e Sam partem sozinhos para a Montanha da Perdição.
As Duas Torres


AragornLegolas e Gimli seguem os rastros dos hobbits capturados (Merry e Pippin) e o caminho condu-los até a Floresta de Fangorn. Nela encontram o Mago Branco que inicialmente pensam ser Saruman, o traidor. No entanto, o velho enigmático revela-se Gandalf, que morreu enfrentando o Balrog e retornou da morte para cumprir sua missão na Terra-Média. Os quatro seguem então para Rohan, Terra dos Cavalos. Sua capital Edoras fica no alto de uma colina, onde os rohirrim ergueram Meduseld, O Palácio Dourado. Nele vive o rei Théoden , cuja mente fora envenenada por Saruman através de um agente infiltrado, o conselheiro Gríma Língua-de-cobra. Gandalf expulsa Grima, cura o rei de seus males, e o aconselha a enfrentar a ameaça de Saruman e partir rumo a Isengard, fortaleza de Saruman, com todos os guerreiros disponíveis.
Enquanto isso, os hobbits Merry e Pippin conseguem escapar dos uruk-hais, e fogem para o interior da Floresta de Fangorn. Lá encontram Barbárvore, um Ent, um gigante em forma de árvore, e cujas origens remontam a tempos muitíssimo mais antigos que a Terceira Era, na qual se passa essa história.
Barbárvore leva Merry e Pippin a sua casa, onde descansam enquanto os Ents são convocados para uma reunião (o "Entebate") no qual se discute, na lentíssima língua dos ents, o que fazer com o Inimigo Saruman. Os Ents decidem ir à guerra e partem rumo a Isengard. Os Ents invadem a fortaleza de Saruman, massacram os odiados orcs, que haviam derrubado muitas árvores de Fangorn, e apagam as fornalhas de Isengard desviando o curso do Rio Isen. Todo o círculo de Orthanc é inundado, ficando Saruman isolado pelas águas em sua Torre de pedra.
Um Anel.
De volta a Rohan, o rei Theoden envia velhos, mulheres e crianças para a segurança do Templo da Colina, um refúgio nas montanhas, enquanto os cavaleiros de Rohan partem em direção a Isengard. Entretanto, são obrigados a fazer um desvio que os leva até o Abismo de Helm, um estreito desfiladeiro onde os rohirrim construíram uma fortaleza de pedra (o Forte da Trompa"). Nela, as tropas de Rohan buscam refúgio mas acabam sitiadas pelos Uruk-hai de Saruman. Após horas de batalha sangrenta, os orcs são derrotados com a ajuda de outras tropas de Rohirrim, trazidas por Gandalf. Os Orcs remanescentes fogem mas são massacrados pelos Huorns, Ents mais arvorescos, que buscam vingança pela destruição da Floresta de Fangorn.
Finda a Batalha do Abismo de Helm, o rei Theoden, GandalfAragornLegolas e Gimli, cavalgam até Isengard. Ao chegarem lá, encontram Merry e Pippin sãos e salvos, e surpreendem-se com os hobbits se fartando com as provisões de comida, vinho e fumo da fortaleza do Inimigo. Numa última e desesperada tentativa, Saruman procura seduzir o grupo com sua voz persuasiva, quase hipnótica, mas Gandalf anula o feitiço e ainda o expulsa da ordem dos Istari, quebrando seu bastão. Nesse momento, Gríma língua-de-cobra atira da Torre de Orthanc um Palantír, pedra vidente que é capaz de comunicar-se com outras semelhantes. Gandalf recolhe-a para posterior averiguação.
À noite no acampamento, Pippin, em sua incontrolável curiosidade, agarra o Palantír e olha para o seu interior, e numa visão, vê o próprio Sauron, mas por sorte não revela nada dos planos dos povos livres, e ainda vê uma parte dos planos do Senhor dos Anéis: seu primeiro ataque será contra a capital do Reino de Gondor, a cidade de Minas Tirith.
Gandalf parte então com Pippin para Minas Tirith a fim de alertar Gondor da guerra iminente, encerrando assim a primeira parte de As Duas Torres.
A segunda parte do livro, que fala sobre Frodo e Sam, inicia-se com a captura de Gollum. Em troca de sua liberdade, ele promete levar os dois até Mordor, onde fica a Montanha da Perdição. Assim é feito.
Mas Gollum não é totalmente fiel, nem totalmente sincero. Apenas Sam é capaz de perceber suas verdadeiras intenções. Gollum é uma criatura velha e "pegajosa" que já foi um hobbit, mas que foi possuído pelo poder do Um Anel, e jamais conseguiu libertar-se dessa atração: um lado de sua personalidade dividida quer levar os hobbits até Mordor em segurança, mas a outra pretende matá-los e apossar-se do Anel que lhe foi roubado.
Atravessando vários lugares, os hobbits são guiados até o Portão Negro de Mordor, mas este está fechado, e os hobbits, conduzidos por Gollum, seguem outro caminho.
Ao pararem para descansar e comer, Frodo e Sam testemunham uma batalha entre Homens de Gondor e os Haradrim, aliados de Sauron. Gollum desaparece e os hobbits são capturados por uma patrulha chefiada por Faramir, irmão de Boromir. Frodo e Sam são levados até um esconderijo situado atrás de uma cachoeira onde Sam inadvertidamente revela o objetivo da missão (a destruição do anel do poder).
Frodo repreende Sam e teme que Faramir seja como seu falecido irmão e queira tomar o anel para si. Entretanto, para sua surpresa, Faramir revela grande força de caráter e nobreza de coração, e os liberta para que possam cumprir sua tarefa.
Os hobbits reiniciam sua jornada para Mordor, com Gollum como seu guia, e decidem atravessar as montanhas através de Cirith Ungol, local de má fama, considerado maldito e perigoso. Este caminho os leva até uma escada talhada em um paredão de rocha, que termina num túnel. O plano de Gollum, que se rendeu ao mal, é guiá-los através desse túnel e lá dentro entregá-los a Laracna, uma aranha gigantesca, descendente da terrível Ungoliant. O esquema de Gollum funciona em parte: Frodo é picado por Laracna, mas Sam luta desesperadamente contra o terrível aracnídeo e acaba derrotando-o com um golpe de espada num ponto fraco de sua couraça.
Convicto da morte de Frodo, Sam decide assumir o fardo do anel e completar a missão de seu mestre. Nesse ínterim, uma patrulha de orcs se aproxima, e Sam volta para evitar que o cadáver de Frodo vire carniça de orcs. Sam ouve a conversa dos servos de Sauron e tem um choque ao saber que Frodo na verdade não estava morto, apenas inconsciente.As Duas Torres termina com os orcs levando o adormecido Frodo para a Torre de Cirith Ungol e com o Hobbit Samwise Gamgee em desespero, que tem de escolher entre continuar a missão do Anel ou tentar salvar Frodo das garras dos orcs.

O Retorno do Rei (O Regresso do Rei)

Gandalf e Pippin entram na cidade de Minas Tirith, onde se encontram com Denethor, regente do reino de Gondor. Gandalf o avisa da guerra próxima, e o regente pede a ajuda deRohan, mas revela seu rancor por Aragorn, que, sendo descendente direto do último rei, é o herdeiro legítimo do trono de GondorMerry, entretanto, permanece com os rohirrim, para servir ao rei Théoden, que reune todos os guerreiros aptos de seu reino e parte para a guerra em Minas Tirith. Junto com ele vão AragornLegolas e Gimli.
Enquanto isso, Sam penetra na torre de Cirith Ungol, e resgata Frodo, que era mantido prisioneiro. Com muita sorte, ambos escapam dos muitos orcs, e adentram Mordor, uma imensa terra devastada, coberta de pó, cinza e fogo, cujo próprio ar é carregado de fumaça venenosa.
Após receberem uma mensagem de Elrond, AragornLegolas e Gimli deixam o exército de Rohan e viajam então para as Sendas dos Mortos. Lá Aragorn convoca um exército de almas penadas/ mortos-vivos (o livro não deixa muito claro) a cumprirem um antigo juramento de lealdade para com Isildur, o primeiro rei de Gondor e seu ancestral direto. Os mortos haviam jurado lutar ao lado de Gondor mas fugiram para as montanhas quando foram chamados à guerra. Isildur então os amaldiçoou a não terem paz, nem na vida nem na morte, até que sua promessa fosse cumprida.
Quando a guerra se abate sobre Gondor, o exército dos mortos, liderado por Aragorn, liberta um porto no grande rio Anduin, dominado pelos Haradrim (habitantes do sul da Terra-Média), o que permite o embarque de tropas aliadas que vão em auxílio de Minas Tirith, sitiada pelas Tropas de Sauron. Terminada a batalha dos Campos do Pelennor,que ainda não fora a batalha definitiva, os exércitos de Gondor e Rohan, marcham rumo ao Portão Negro de Mordor. O objetivo da arriscada manobra é atrair os exércitos remanescentes do Inimigo e esvaziar a Terra Negra, possibilitando a passagem de Frodo e Sam até a Montanha da Perdição, onde o Anel do Poder poderia ser destruído.
Tudo ocorre como previsto: os exércitos de Mordor caem na armadilha. Frodo e Sam conseguem passar, todavia antes de entrarem na Montanha da Perdição, encontram Gollum em seu caminho. Os hobbits se separam, Frodo adentra as Fendas da Perdição, uma câmara no vulcão que dá acesso à lava chamejante. Quando já está à beira do precipício, surpreendentemente, Frodo é dominado pelo Anel do Poder e o reivindica para si: "o anel é meu, não vou destruí-lo!". Nisso, Gollum intervém, ele e Frodo lutam ferozmente, até que Gollum arranca o anel das mãos de Frodo. Gollum escorrega e cai acidentalmente (ou não) na lava ardente, levando consigo o Um Anel, que é destruído, assim como Sauron, cujo espírito estava vinculado ao anel, e seus servos orcs, que dependiam de sua força e comando.
Aragorn então assume o trono de Gondor com o nome élfico Elessar, sendo coroado Rei por Gandalf, e se casa com a meia-elfa Arwen. Tem início assim a Quarta Era, a era do Domínio dos Homens. Os elfos remanescentes da Terra-Média decidem partir para Aman, morada dos deuses Valar.
Os quatro Hobbits então retornam para o Condado, tendo que enfrentar um último inimigo: Saruman que se apossou do Condado. Mas o mago acaba morto pelas mãos de Grima Língua-de-cobra, e a paz volta à terra dos hobbits.
O livro termina com a partida para as Terras Imortais (Aman) de GandalfGaladrielElrond assim como dos hobbits Frodo e seu tio Bilbo, que, embora mortais, conquistam o direito de viver o resto de seus dias junto aos Elfos e aos Valar, como reconhecimento de sua lealdade e sacrifício durante a Guerra contra Sauron e por terem sido portadores do Um Anel.


300 (filme)



300 é um filme americano baseado na banda desenhada (história em quadrinhos) homónima de Frank Miller sobre a Batalha das Termópilas. Trata-se de um filme com vários estilos cinematográficos evidenciando-se a animação ao estilo de uma banda desenhada. Grande parte do filme foi realizado com Chroma key.
Filmando com cenas 3D, o filme teve um orçamento de 70 milhões de dólares, e estreou nos cinemas americanos a 9 de Março de2007, no Brasil a 30 de Março e em Portugal a 5 de Abril de 2007.
300 passa a imagem da liberdade dos gregos antigos e de como era importante a união e a garra, para que um pequeno exército de 300 homens pudesse enfrentar dezenas de milhares de guerreiros do Império Persa.

Sinopse

O filme começa com um orador espartano a contar a vida do jovem rei Leónidas I, revelando também o rigor e a disciplina a que foi submetido durante a sua infância. Aos sete anos, é tirado da sua mãe para iniciar o agogê - um período de privações a que todos os cidadãos de Esparta são submetidos.
Passados trinta anos, o orador conta que um mensageiro persa chega a Esparta e comunica-lhe o desejo de Xerxes em dominar a região - através de um pedido aparentemente inocente de "terra e água". Leónidas, ofendido com tal mensagem, mata toda a comitiva persa e decide começar uma guerra com Xerxes. Como Esparta estava a celebrar a festa religiosa da Carneia, Leónidas não poderia entrar em guerra, então ele pega 300 homens de sua guarda pessoal e diz que vai dar um passeio - e marcha ao encontro dos invasores persas.

Percy Jackson e o Mar de Monstros

Percy Jackson espera que o destino lhe reserve muitas aventuras. E sua expectativa é concretizada. Apesar do novo curso na Escola Meriwether ocorre normalmente, uma simples partida de queimado acaba em uma batalha campal contra um bando de gigantes ferozes, e o ginásio do colégio fica incendiado. Annabeth surge e o leva (numa viagem bem esquisita) para o Acampamento Meio-Sangue. Chegando lá, ela tem de enfrentar uma batalha, a demissão de Quíron e as gozações dos outros campistas, pois Tyson seu amigo da escola, é revelado como um ciclope e filho de Poseidon. Depois ele descobre como salvar o acampamento, usando o Velocino de ouroporem Tântalo, o novo diretor de atividades do acampamento não o deixa partir então, ele encontra-se com Hermes que lhe presentea com artefatos para a tentar resgatar Luke do mal. Percy se encontra com Luke, mas descobre que ele está atrás do envenenamento da árvore de Thalia e que ele quer o Velocino de Ouro para restaurar a forma física de Cronos que está num sarcófago dourado, depois eles se metem em encrencas no Spa e Resorte de Circe e outras aventuras, antes de partirem para a illha onde está Polifemo um ciclope que sequestrara Grover. Grover então é salvo por Percy depois vencem Polifemo, recuperam o Velocino e a árvore de Thalia á revitalizada logo depois a árvore se transforma em Thalia, filha do deus Zeus.
Serie de jogos do God of War

God of War: Chains of Olympus é um jogo de ação/aventura desenvolvido pela Ready At Dawn para o Console portátil PlayStation Portable e pela SCE Studios Santa Monica PlayStation 3. O jogo é o segundo título cronológico da série de jogos eletrônicos God of War e a prequela do primeiro God of War. O jogo foi lançado no ano de 2006, em 4 de março para a América do Norte, em 28 de março para a Europa e 10 de julho para o Japão. Este jogo é o segundo projeto desenvolvido para PSP pela Ready At Dawn, que foi responsável pela produção do sucessivo Daxter.

Enredo

Durante dez anos de Kratos sevindo aos deuses do Olimpo, ele é enviado a cidade de Ática para ajudar a defender a cidade da invasão do exército persa. Após ter matado com sucesso o Rei Persa, dizimando seu exército e seu bicho de estimação, o basilisco, Kratos observa o sol cair do céu, mergulhando o mundo na escuridão. Kratos luta pelo seu caminho através da cidade de Maratona e testemunha a névoa negra do Olimpiano Morfeu, que agora cobre a terra na escuridão. Kratos também ouve uma melodia de flauta assombrosa na qual eventualmente reconhece como a canção uma vez tocada por sua agora falecida filha, Calíope.
Encontrando o Templo de Hélio, Kratos é encarregado pela deusa Atena para encontrar o deus sol desaparecido, no que na absência de luz, Morfeu causou os deuses restantes a cair em torpor profundo. Kratos eventualmente localiza Eos - a irmã de Hélio - que aconselha que o Titã Atlas, abduziu seu irmão. Kratos recupera os Fogos Primordiais necessários para acordar os cavalos de fogo de Hélio, que levou o Espartano para o Submundo, onde ele teve dois encontros com Caronte no Rio Estige. Embora Caronte inicialmente derrota Kratos e o expulsa para Tártaro, Kratos retorna e destrói Caronte.
Eventualmente localizando o Templo de Perséfone e confrontando a Rainha do Submundo, Kratos recebe uma escolha: renunciar seu poder e ficar com sua filha falecida (a um custo para a humanidade) ou proceder com sua missão. Kratos sacrifica suas armas e poder para estar reunido com sua filha, mas descobre que Perséfone é amarga por ter sido traída por Zeus e sido forçada a permanecer ao submundo com seu marido, Hades. Enquanto Kratos estava destraído pela sua reunião com Calíope, o aliado de Perséfone, Atlas, estava usando o poder do sequestrado Hélio para destruir o pilar que segura o mundo, que também terminaria com o Olimpo. Escolhendo a abandonar Calíope para sempre, Kratos toma de volta seu poder e amarra Atlas ao pilar que ele procurou destruir - forçando o Titã a agora segurar o peso do mundo em seus ombros. Kratos luta com Perséfone até a morte, e embora vitorioso, ele é advertido por uma agonizante Perséfone que seu sofrimento nunca acabará. Atlas também avisa a Kratos que ele eventualmente se arrependerá por ter ajudado os deuses, e que eles se encontrariam novamente.
Montando na cavalaria de Hélio de volta ao céu e vendo o retorno do sol, um lúgubre Kratos então perde a consciência pelo seu esforço e mergulha até o solo. Kratos, no entanto, é salvo por Atena e Hélio, que então retornariam ao Olimpo.
God of War é um jogo eletrônico de ação-aventura para o console PlayStation 2 pela divisão de Santa Mônica da Sony Computer Entertainment. Lançado em Março de 2005, foi a primeira cota da série God of War, que é baseado na mitologia grega. O protagonistado jogo é um guerreiro chamado Kratos, a história faz parte de uma saga, com a vingança como tema central. Neste capítulo, Kratos deve parar o Deus da Guerra, Ares, de destruir a cidade de Atenas encontrando a lendária Caixa de Pandora.

Enredo

Kratos é um guerreiro à serviço dos deuses Gregos do Olimpo. É revelado,em uma série de flashblacks, que Kratos foi um Capitão militar no exército de Esparta. Um guerreiro feroz, que guiava seu exército através de muitas vitórias, até que ele encontra com uma horda invasora de bárbaros. O Espartano é oprimido pelo grande número de inimigos, e está prestes a ser morto pelo Rei Bárbaro, quando, em um momento de desespero, ele clama pelo Deus da Guerra, Ares, e jurando ter uma vida de servidão à Ares, se este livrá-lo da morte e dá-lo poder para acabar com os inimigos.
Ares ouve a oração de Kratos, e entrega as "Blades of Chaos" (um par de lâminas anexadas em correntes, forjadas no fundo do Tártaro) ao seu novo servo. Kratos então retorna para confrontar o Rei Bárbaro e decapita o seu inimigo. Um vitorioso Kratos então triunfa sobre todas as guerras por toda a Grécia, e eventualmente enquanto lidera um ataque à uma vila ocupada por adoradores de Atena. Ares engana Kratos colocando sua filha e mulher na vila, a quem Kratos acidentalmente mata. Embora Ares achasse que fazendo isso Kratos se tornaria um guerreiro perfeito, este, por sua vez, renuncia sua servidão a Ares. O oráculo da agora destruída vila amaldiçoa Kratos, e anexa as cinzas de sua família morta em sua pele, fazendo com que sua pele fique cinza. Agora conhecido como o "Ghost of Sparta",(Fantasma de Esparta) Kratos é atormentado por pesadelos do seu horrível ato e compromete-se a dez anos de servitude aos outros deuses do Olimpo. Finalmente, cansado de sua servitude, Kratos convoca Atena, que afirma a Kratos que se ele realizar uma tarefa final - o assassinato de Ares - ele será perdoado pelo assassinato de sua família. Atena então atribui a Kratos a tarefa de matar Ares, pois Zeus havia proibido a intromissão divina.
Kratos é guiado pela deusa Atena até a cidade de Atenas, que está sendo sitiada por escravos de Ares. Kratos abre caminha batalhando até o oráculo de Atenas, mas não antes de ter um encontro com um estranho coveiro, que encoraja Kratos à continuar com sua tarefa. Encontrando o oráculo, Kratos descobre que a única maneira de se matar Ares é localizando e usando a Caixa de Pandora, um lendário artefato que dá a um mortal poderes para se matar um deus.
Após atravessar o Deserto das Almas Perdidas, Kratos convoca o Titã Cronos. Cronos possui o Templo de Pandora anexado em suas costas: um castigo imposto por Zeus a Cronos naGrande Guerra. Kratos escala o Templo durante três dias antes de atingir a entrada, e ao entrar supera uma série de armadilhas mortais e um exército de monstros. Kratos finalmente encontra a Caixa de Pandora, mas ao tentar sair do Templo com o artefato ele é assassinado por Ares, que tem certeza de que seu ex-servo foi sucedido. Enquanto um grupo deharpias leva a Caixa à Ares, Kratos está a cair no Hades (Submundo ou Mundo Inferior, o inferno dos gregos). Kratos, no entanto, luta para sair do submundo, e com a ajuda do coveiro misterioso, que menciona que Atena não é o único deus olhando por ele, escapa e retorna a Atenas.
Ao recuperar a Caixa de Pandora de Ares, Kratos a abre e usa o seu poder para tomar os poderes de um deus. Apesar dos melhores esforços de Ares para acabar com Kratos, tanto fisicamente quanto mentalmente, incluindo ser despojado das Blades of Chaos, Kratos sobrevive e mata seu inimigo com a lendária Blade of the Gods (Lâmina dos Deuses). Atenas é salva, e apesar de Atena dizer que seus pecados foram perdoados, seus pesadelos não poderão ser parados. Kratos, então, tenta cometer suicídio lançando-se no Mar Egeu, mas Atena intervem dizendo que não cabia a ele tirar sua própria vida pois teria feito um grande ato, matado um deus e leva-o de volta para o Monte Olimpo. Como recompensa por seus serviços aos deuses, Atena lhe concede as Athena's Blades (Lâminas de Atena) e Kratos se torna o novo God of War (Deus da Guerra).

God of War: Ghost of Sparta, é um jogo de ação e aventura desenvolvido pela Ready At Dawn para o PlayStation Portable.
Cronologicamente, o jogo acontece depois de o guerreiro espartano, Kratos, se tornar o novo Deus da Guerra, ou seja, logo depois do primeiro jogo da série God of War. O título mostra um pouco mais da história do Fantasma de Esparta, revelando como ele conseguiu sua mancha vermelha em sua pele e conta algumas aventuras do personagem logo depois dele se tornar deus.
==
Enredo
Um oráculo predisse que o fim da Olympus não viria pela vingança dos grandes Titãs, que tinha sido preso após a Grande Guerra, mas por um guerreiro marcado. Os Olimpianos Zeus e Ares acreditavam que este guerreiro tinha que ser Deimos, o irmão de Kratos, devido à suas marcas de nascenças estranhas. Ares interrompe o treinamento de infância de Kratos e Deimos (com Athena assistindo) e seqüestra Deimos. Kratos tenta parar Ares, mas é posta de lado e cicatrizado (através de seu olho direito) pelo Olimpiano. Ares tenta matá-lo, mas Atena o impede, sabendo o destino de Kratos. Levado para Domínio da Morte, Deimos é preso e torturado pelo deus da morte, Thanatos.
Kratos, o Fantasma de Esparta, foi levado ao lugar de Ares, como o novo Deus da Guerra no Monte Olimpo. Ainda assombrado por visões de seu passado mortal, Kratos decide contra os conselhos da deusa Athena, explorar seu passado e viaja para o Templo de Poseidon, localizado dentro da cidade de Atlântida. O monstro marinho, Scylla, ataca e destrói navio de Kratos na costa da Atlântida, embora o Spartano tenha se livrado da besta. Após uma série de escaramuças em toda a cidade, Kratos finalmente mata Scylla.
Kratos também localiza sua mãe doente, Calisto, que tenta revelar a identidade de seu pai. Quando Callisto é subitamente transformado em um monstro horrível, Kratos é forçado a batalhar com ela, e antes de morrer, Callisto agradece Kratos e implora-o a procurar seu irmão Deimos em Esparta. Antes de partir de Atlantis, Kratos encontra e libera o preso Titan, Thera, o que provoca a erupção de um vulcão subterrâneo e, posteriormente, destrói a cidade. Durante a fuga de Kratos, ele tem um outro encontro com o enigmático coveiro, que alerta para as conseqüências de alienar os deuses.
Depois de uma batalha com Erinys, filha de Thanatos, Kratos chega em Esparta e testemunha um grupo de espartanos derrubando uma estátua de Ares, com a intenção de substituí-lo com uma imagem de Kratos. Depois de matar o Leão Piraeus e um dissidente na cadeia de Esparta e um encontro com o espírito de sua auto-criança no Templo de Ares, Kratos descobre que ele deve retornar para o Atlantis agora afundada e localizada no domínio da morte. Antes de sair, um espartano leal fornece a Kratos com o suas antigas armas usadas durante os dias de Kratos como um capitão do exército espartano, the Arms of Sparta. (os Braços de Esparta)
Entrando no domínio da morte, Kratos finalmente localiza o seu irmão Deimos preso e libertá-o. Enfurecido que Kratos não conseguiu resgatá-lo mais cedo e afirmando que ele nunca vai perdoar Kratos, Deimos ataca Kratos, mas o deus Thanatos, responsável pela tortura de Deimos intervém. Thanatos leva Deimos contra a sua vontade a cometer suicídio (o local da tentativa de suicídio de Kratos), onde Kratos salva Deimos de cair para a morte. Um agradecido Deimos então ajuda Kratos na luta contra o deus. Thanatos mata Deimos mas é destruído, por sua vez, por Kratos. Kratos, observando que seu irmão está finalmente livre, enterra Deimos em seu túmulo (deixando os braços de Esparta como um marcador da tumba), e é advertido pelo enigmático coveiro que uma vez ajudou-o a não alienar os deuses, afirmando a Kratos que ele tornou-se "Morte... o Destruidor de Mundos ".
Athena implora por perdão (oferecendo divindade completa e mesmo reconhecendo Kratos como o seu irmão) para não revelar a verdade, mas Kratos ignora-la, retornando a Olympus prometendo que "os deuses vão pagar por isso."
Em uma cena pós-créditos, o coveiro enterra Callisto em um túmulo próximo a do Deimos (com um terceiro túmulo vazio próximo) e declara "Agora... só reste um." A cena final é um Kratos pensativo sentado em seu trono no Monte Olimpo.
God of War II é um jogo de ação/aventura desenvolvido por Cory Barlog, ex-designer do primeiro jogo God of War e que juntamente com David Jaffe assumiu, nesta continuação, a direção do jogo. Ele foi lançado nos Estados Unidos em 12 de março de 2008 para oPlaystation 2 e o PlayStation 3. Foi lançado na Europa em 27 de abril de 2008 e em 3 de maio de 2008 na Austrália.
A versão norte-americana NTSC é incluida com 2 dvds. O primeiro contém o jogo, e o segundo disco contém o desenvolvimento do jogo, incluindo um diário da produção do jogo. A versão européia e australiana PAL vem em duas diferentes edições: versão padrão com um único disco e uma "edição especial" que vem em uma caixa diferente da versão como um só disco. Também inclui uma arte da caixa diferente, um dvd extra, como bem a versão PAL do jogo.
O jogo, é uma continuação do primeiro título da série, God of War. Logo no inicio, mostra em um cut-scene o que aconteceu após Kratos se tornar deus, fatos que podem ser jogados nos jogos God of War: Ghost of Sparta e God of War: Betrayal. Em seguida, Zeus tira parte de seus poderes de deus e Kratos se torna novamente um mortal.

História

Após Kratos (o herói espartano da primeira saga) descer do Olimpo para ajudar seus guerreiros espartanos a destruir a cidade de Rodes (onde se encontrava uma das sete maravilhas do mundo antigo, o Colosso de Rodes), Zeus, transformado em pássaro e sem escolhas, retira pouco do poder de Kratos e o deposita na estátua gigante (o Colosso de Rodes). Kratos, com muita raiva e acreditando ser Atena a responsável, vai em busca de derrotar o Colosso para provar para os Deuses do Olimpo que ele merece ser um deus. Nisso, Zeus, num aperente gesto de generosidade, oferece a Kratos uma incrível arma usada na guerra contra os titãs, a Blade Of Olimpus (a Espada do Olimpo). Somente com ela Kratos conseguiria derrotar o Colosso.

Este, ao ser derrotado pelo Espartano, a mão do Colosso cai em cima de Kratos, quebrando sua armadura de Deus. Então, Kratos muito fraco e percebendo que, ao depositar o que restava de seus poderes divinos na arma sagrada havia exagerado de sua divindade, é surpreendido por Zeus, que revela que foi ele quem retirou os poderes de Kratos e depositou os poderes do guerrreiro ao Colosso e o mata com a Blade of Olimpus dizendo que o ciclo terminaria ali. Então após Zeus ir embora com a Blade of Olimpus, mãos infernais do exército de Hades levam o corpo de Kratos para as profundezas do inferno. Então Kratos ainda "meio morto" começa a ter alucinações, de várias pessoas dizendo para ele resistir. É Gaia, a mãe da terra, que fala para Kratos se vingar dos deuses por eles terem traído ele, encontrando as 3 Sisters of Fate (Irmãs do Destino) e revertendo o passado.
Nisso, Gaia cura Kratos, que sobe de volta para onde Zeus o matara, e pronto para seguir, com o apoio dos Titans, o caminho de seu destino "a bordo" do Pégasus, o cavalo alado. Kratos monta no Pégasus e voa em direção ao templo das Sisters of Fate. Na metade do caminho, Kratos é derrubado por um inimigo que voava em um grifo. Então Kratos recupera o equilíbrio e voa para dentro de uma caverna, a caverna de Tifão, Titã dos Ventos. Em uma das mãos de Tifão, estava acorrentado Prometeu, imortal destinado a ser consumido todos os dias por um pássaro por ter roubado o fogo do Olimpo e dado aos mortais.
Prometeu pede para que Kratos mate ele na fogueira que estava ali em baixo, mas ao tentar arrebentar as correntes, Prometeu fica pendurado pelo pescoço sobre o fogo do Olimpo. Kratos vai em busca do Titã Tifão que diz não querer ajudar Kratos, mas mesmo assim Kratos pula no olho de Tifão e arranca um arco mágico, The Tiphon's Bane. Então ele usa o arco para arrebentar a corrente que segurava Prometeu, que cai no fogo do Olimpo e finalmente morre. As cinzas de Prometeu dão a Kratos um novo poder, The Rage of the Titans (A Raiva dos Titãs). Kratos pega seu pégasus e voa novamente em direção ao templo das irmãs do destino.
Mas não só Kratos desejava ver as irmãs. No templo (ilha), o espartano encontra Teseu, que matou o Minotauro de Creta; Perseu, outro herói Grego; Jasão, o lider dos argonautas que tinha o tosão dourado, capaz de refletir ataques inimigos, e Ícaro, que na tentativa de deter Kratos se joga com ele em direção ao Submundo. Porém o que ocorre é que Ícaro acaba perdendo suas asas para Kratos, que estabiliza-se a ponto de evitar o inferno mas não um reencontro com Atlas, a quem aprisionara no tormento de carregar o mundo em suas costas. Porém agora Kratos estava com Gaia e os Titãs, e Atlas logo se lembra da poderosa arma (Blade of Olimpus) que Zeus usou para vence-los, por isso "emerge" Kratos de volta à superfície e o ajuda cedendo-lhe a magia "Atlas Quake", uma magia mortal capaz de causar terremotos devastadores, matando facilmente seus inimigos. Depois de progredir um pouco em sua jornada, alcançando o "The Palace of The Fates" (Palácio dos Destinos, onde residem as Irmãs do Destino), Kratos descobre que Esparta fora arrasada por Zeus e por isso perde as esperanças, acreditando que jamais venceria Zeus. Porém, motivado por Gaia,matando o kraken, segue seu caminho e enfim encontra as irmãs do tempo, uma a uma. Primeiramente, surge de seu trono Lahkesis, arrogante, garante que Kratos não conseguirá alterar seu destino. Após um primeiro confronto, surge Atropos, a segunda irmã, que ajudou Kratos a derrotar Ares. Atropos é facilmente derrotada, o mesmo ocorre com Lahkesis.
Depois de acabar com as duas primeiras irmãs, Kratos se depara com a terceira: Um monstro disforme com muitos seios e braços mortais. Dela, o espartano ganha um aviso: se ele persistisse com suas ações, destruiria todo o existente. Kratos não dá ouvidos a Clotho (nome da terceira irmã) e acaba por elimina-la também. Ao acabar com as três irmãs do destino, Kratos passa a ter poder sobre este, possibilitando que ele volte ao exato momento em que Zeus o matava para tomar-lhe a espada (Blade of Olimpus) e iniciar um confronto mortal: o deus dos deuses fora desafiado. Após muito lutar, Zeus lança uma tempestade de raios sobre Kratos, que finge entregar-se, mas aproveitando-se de um descuido da divindade, contra golpeia brutalmente usando o tosão dourado e prepara-se para desferir o golpe final com a sagrada espada.
Nesse momento surge Atena, que para proteger seu pai lança-se entre ele e Kratos, que não pôde desviar a tempo e empala atena com a espada e assim mata mais uma divindade. Zeus, enfraquecido, foge e volta para o Olímpo, para organizar os outros deuses para a guerra contra Kratos. Antes de morrer, Atena explica que fez aquilo pois se Zeus caísse, também todo o Olimpo cairia e seria este o fim dos deuses. Também disse que o pai que Kratos nunca conhecera era Zeus e que este temia que, assim como fizera com Cronos, Kratos tomasse seu lugar no Monte Olimpo. Sua ultima frase é: "Deus após deus irá negar sua vingança, Kratos. Eles irão proteger Zeus. Zeus deve viver, para que o Olímpo também viva." E morre.
Kratos então diz: "Se todos no Olimpo negarem a minha vingança, então todos no Olimpo irão cair! Eu tenho vivido na sombra dos Deuses por muito tempo, e a era deles está para acabar!". Furioso por ter matado a única divindade pela qual nutria algum carinho e em posse da arma mais poderosa do universo (Blade of Olimpus),Kratos conversa com Gaia dizendo a ela que Zeus está fraco, Ares e Atena estão mortos e que ele possui a espada (Blade of Olympus), e diz que eles podem ganhar está guerra mais não neste tempo, levando Gaia e todos Titãs para o futuro.
Kratos parte com os titans rumo ao Olimpo para pôr fim a era dos deuses. Enquanto isso Zeus depois de ter fugido da luta com Kratos, vai para o Monte Olimpo e chama alguns deuses(Poseidon, Hades, Hélios e Hermes)para uma reunião, dizendo que eles tem que esquecer suas brigas e diferenças e lutar contra essa besta (Kratos) fazendo o Olímpo prevalecer.
No momento da reunião o Monte Olímpo começa a tremer, os deuses vão correndo para ver o que é, e quando olham vêm os Titãs subindo o Monte Olímpo, liderados por Kratos que estava em cima da Gaia segurando a Blade of Olympus e diz "Zeus, seu filho retornou! E trago comigo a destruição do Olimpo!"...
Depois a frase "The End Begins..." (O Fim Começa...) aparece na tela e o jogo acaba. God of War III traz este fim como o início do jogo, fazendo uma continuação direta.
God of War III (abreviadamente GOW 3) é um jogo eletrônico da série God of War. O seu desenvolvimento foi formalmente anunciado na E3 2008. O jogo foi lançado em 16 de março de 2010 exclusivamente para PlayStation 3God of War 3 é o sexto e último capítulo da série cronologicamente, após God of War: Chains of OlympusGod of WarGod of War: Ghost of Sparta,God of War: Betrayal e God of War II. O slogan do jogo é "In the end, there will be only chaos" (em português, "No fim, só haverá caos").

História


God of War III inicia imediatamente no final de God of War II, com Kratos montado em Gaia e os outros Titãs escalando o Monte Olimpo em encontro aos deuses. No topo da montanha, ZeusPoseidonHadesHermes e Helios se preparam para a batalha. Kratosem seguida aparece fazendo seu caminho passando pelo braço direito de Gaia, quando um leviatã, aparece e começa a atacarKratos. Depois da batalha e de aparentemente matar um dos vários leviatãs, ele encontra com Poseidon em sua forma aquática. Depois de enfraquecê-lo, Kratos tira Poseidon de dentro de sua "armadura aquática" e começa a espanca-lo, consequentemente matando Poseidon. Gerando uma inundação enorme que engole o mundo em água, fazendo com que apenas pudesse se ver pequenas partes das montanhas que ali ficavam. Mais tarde, Kratos e Gaia chegam ao topo do Monte Olimpo, e encontram comZeus. Depois de uma conversa entre pai e filho, acabam sendo derrubados do Monte Olimpo por um raio dele. Após ambos serem jogados para trás, Gaia tenta se segurar ao Monte Olimpo mas acaba fazendo com que Kratos não consiga se segurar nela. Gaia diz que não pode ajudá-lo, e explica para Kratos que se ela ajudá-lo ambos iriam cair. Ela fala que a guerra dos Titãs com os Deuses é mais importante que a vingança de Kratos, e que ele fora um mísero peão para essa luta. Após isso, ele cai do Monte Olimpo enquanto Gaia continua tentando se segurar.
Durante a queda, Kratos e a Blade of Olympus (Espada do Olimpo) são separados, com Kratos caindo no rio Estige. Ele nada até a margem, mas conforme vai se aproximando da borda, as almas do submundo tiram suas forças, diminuindo sua barra de vida, e de magia, tirando todos os seus red orbs e deixando as Blade of Chaos (Lâminas do caos) completamente inutilizáveis. Emergindo do rio, Kratos encontra o espírito de Atena, que lhe dá as Blades of Exile (Lâminas do Exílio), em troca de sua confiança. Mais tarde, Kratosrecupera a Blade of Olympus (Espada do Olimpo) e com Atena mais uma vez para guiá-lo, sai em busca da Flame of Olympus (Chama do Olimpo), na qual Atena disse que era de onde os Olimpianos tiravam a força deles. Emergindo do submundo, depois de matar Hades e roubar sua alma; e consequentemente liberando todas as almas que o submundo guardava;Kratos encontra Gaia, a causadora de sua queda, tentando voltar à guerra no Monte Olimpo. Com raiva por ela negar sua vingança contra ZeusKratos corta a mão dela fora, fazendo-a cair.
Durante o caminho, Kratos elimina Helios, que em consequência de sua morte, acaba fazendo com que a lua ficasse na frente do Sol, causando um eclipse permanente e envolvendo o mundo numa chuva e escuridão eterna. Após uma longa jornada, ele descobre que a Flame of Olympus (Chama do Olimpo) estava guardando a Caixa de Pandora, que continou a existir depois do seu encontro com Ares. Seu conteúdo é dito ainda ser capaz de matar um deus, Atena explica para ele que a única maneira de extrair a Flame of Olympus (Chama do Olimpo) é achar Pandora, que é a chave para extrair a Chama e possibilitar que a caixa seja aberta novamente. Mas a frente ele derrota Hermes, cuja morte libera uma praga envolve todo o resto da humanidade que sobreviveu as inundações e a outras calamidades. Em seguida ele encontra seu irmão, HerculesKratos o mata e adquiri as Nemean Cestus (Cestus de Neméia). Quando Hefesto descobre os planos de Kratos de encontrar Pandora, ele sugere que Kratos vá para o Tartáro em busca da Omphalos Stone, para que Hefesto pudesse criar uma arma digna de um Deus da Guerra. Sendo que na verdade sua real intenção era matar Kratos para que ele não chegasse a encontrar Pandora, mas Kratos não sabia que em sua ida até lá, teria de encontrar com Cronos, e matá-lo, sem comentar o fato de que a pedra estava dentro do próprio titã. Depois de matar Cronos, e entregar a pedra a Hefesto, assim,Kratos recebe a Nemesis Whip (Chicote de Nemesis), e Hefesto tenta matá-lo logo após dar a arma, numa tentativa de salvar Pandora, sua "filha". Kratos anda por diversos lugares, indo e voltando por vários locais, viajando pelas Chains of Balance, correntes que ligam o Monte Olimpo e o submundo, e acaba encontrando Pandora, dentro do Labirinto. O labirinto foi uma construção de Dédalo, Zeus fez com, que ele construísse esse labirinto para guardar Pandora lá dentro, como se fosse um objeto a ser ocultado e excluído de todo o mundo. Depois de se libertar do Labirinto, junto com PandoraKratos desce ao submundo para quebrar as Chains of Balance e possibilitar que ele suba novamente ao Olimpo e traga o Labirintopara lá.
Kratos e Pandora se encontram em um salão aonde esta a Caixa de Pandora. Lá, eles encontram ZeusKratos o ataca e começa a primeira parte da batalha final do jogo. Depois deKratos derrubar Zeus. Pandora sacrifica-se para abrir a Caixa de Pandora contra a vontade de Kratos, que a esta hora não queria perder Pandora, numa tentativa de reinstituir a família que ele tinha perdido. Ele abre a caixa, só para descobrir que ela estava vazia. Furioso, Kratos reencontra Zeus em um local nas proximidades, onde novamente se envolvem em uma batalha. No meio da batalha, Gaia emerge e, furiosa, decide esmagar ambos, pelo fato de que ela considerava que Kratos que tinha traido os titãs. Para evitar seu ataque, eles pulam dentro de Gaia através de um buraco perto de seu pescoço. Dentro de Gaia, Kratos e Zeus comeam a batalhar, dando início a segunda parte da batalha final do jogo. Terminando comKratos transpassando tanto Zeus quanto o coração de Gaia com a Blade of Olympus (Espada do Olimpo), destruindo a Titã com Zeus junto. Aparentemente morto, Zeus libera seu espírito para atacar Kratos, deixando-o desarmado. O espírito de Zeus então, possuído pelo medo que corrompeu ele após a Caixa de Pandora ter sido aberta pela primeira vez, tenta fazer com que o medo entre na mente de kratos, e o jogo nos leva em uma breve viagem a mente de Kratos . Lá, ele finalmente encontra uma maneira de se redimir por suas falhas, perdoando a si mesmo por seus pecados passados, e aprende que a esperança é a sua arma mais poderosa. Voltando a si, Kratos acorda, luta, tortura, e finalmente destrói o espírito de Zeus, matando o Deus dos Deuses. Mas aparentemente não causando nenhum dano ao mundo, apenas raios que agora desciam dos céus mais frequentemente.
O espírito de Atena aparece, exigindo a Kratos o poder que tirou da Caixa de Pandora.Ele responde que estava vazia, o que Atena não acredita. Mas então ela explica que, quando Zeus prendeu todos os males do mundo dentro da caixa, ela temia o que poderia acontecer caso ela viesse a ser aberta, e colocou seu próprio poder dentro da caixa, a esperança. Ela então percebe que, quando Kratos abriu a caixa ao derrotar Ares, o mal escapou e contaminou os deuses, enquanto que Kratos ficou com a Esperança, o poder que Atena havia colocado dentro da caixaAtena novamente pede a Kratos seu poder de volta, acreditando que ela saberia a melhor forma de usá-lo para reconstruir o mundo. Dizendo que iria fazer uma mensagem para todo plano terrestre. Kratos dúvida muito que a suposta mensagem que Atena daria ao mundo fosse resolver algo, aquela altura, um eclipse eterno fazia o mundo em completa trevas, os mares estavam cobrindo tudo, as plantações mortas, todos os humanos infectados por pragas.Em vez de devolver a Esperança, Kratos tira a própria vida com a Blade of Olympus (Espada do Olimpo), liberando a energia para toda a humanidade a usar. Enfurecida, Atena pensa que o mundo não vai saber o que fazer com a esperança, e sai do local esvaeçendo aos poucos. No chão, uma poça de seu próprio sangue, Kratos ainda tem lenta respiração. E devagar, a câmera vai saindo do local e escurecendo, dando início aos créditos do jogo.
No final dos créditos, há uma pequena cena, onde Kratos já não está mais no local onde ele caiu, ao lado do Blade of Olympus (Espada do Olimpo), e apenas dá para se notar um pequeno rastro de sangue indo em direção a borda do abismo. Há muita especulação e mistério sobre essa cena, pois aonde Kratos supostamente "morreu", há um símbolo de uma ave talhado no local. Há indícios de que a ave talhada é uma fênix, simbolizando sua ressureição.
Ainda no final, vale notar que os tornados vão sumindo, as nuvens negras também, e o sol reaparece

4 comentários:

  1. adorei o resumo de God of War e de Percy Jackson,mas não querendo ser chato a espada de Percy se chama Anaklusmos,mas adorei os resumos.

    ResponderExcluir
  2. vc é um nerd baiolão..kk

    ResponderExcluir
  3. td idiota esses q fica falando q o cara é baitola ja deu o cuzinho certeza

    ResponderExcluir